2 de abril de 2016

Intercorrência Médica

Com esse surto da gripe HN1 confesso que fiquei um pouco assustada, ao mesmo tempo que procurei me tranquilizar sabendo que a Jaqueline pegou tosse de nós aqui em casa. Primeiro meu marido ficou doente, e começou com os sintomas de tosse, febre, indisposição e dor no corpo. Depois de um tempo eu, aliás ainda não estou bem, e lá se vai quase um mês (meus sintomas começaram há um mês), mas inicialmente com um cansaço há 15 dias atrás. Fui no Pronto Socorro, até ecocardiograma tive que fazer. A médica disse que era desgaste físico. Errou no diagnóstico! Um dia depois eu comecei a tossir e disse ao meu marido: Bingo! 

Uma semana depois dos meus sintomas, a minha filha começou. E eu fiquei muito preocupada porque se eu ainda não estou bem, imagina ela como ficaria com os mesmos sintomas que eu? Fiquei quase todo esse tempo de cama, só levantando pra cuidar dela e fazer o mais essencial dentro de uma casa, mas sempre cansada, com sono e fazendo as coisas aos poucos. A dor no corpo era horrível... Enfim, me vi imprestável.

Ainda bem que as rotinas médicas no mês de março não tivemos, apenas consulta com dentista que mensalmente ela faz limpeza. Aliás, a médica constatou que a gengiva dela estava mais grossa e disse que como mexeram na dose do anticonvulsivo dela, ela me explicou que eles provocam um inchaço mesmo, e que isso era ruim porque aumenta a quantidade de saliva o que faz ter mais tártaro (e é por esse motivo que todo mês faz limpeza, pra não juntar).

Ela começou ter os sintomas na quinta feira (dia 24), e no feriado estava doentinha. Os primeiros dias não foram tão ruins e fiquei cuidando em casa, mas a medida que os dias vão passando parece que vai ficando pior os sintomas. Ela tinha uma febre que não passava dos 38,4, tossia, e devido a tosse que apertava vomitava o catarro e aliviava. Mas começou a ficar muito abatida, só querendo dormir, e quando parou de querer comer, aí fiquei preocupada, até porque ela não recusa comida de jeito nenhum!  Tentei ao máximo não sair com ela, nem expor à vírus devido à essa gripe , e em hospital a gente pega de tudo! Mas, levei ela em um posto de saúde no dia 30/03. A médica examinou, e no exame físico tudo bem coração e pulmão tudo bem, e a pressão estava baixinha: 9x5. A garganta estava vermelha e ela receitou antibiótico por 7 dias pra que ela melhore e me avisou que em 3 dias ela deveria estar melhor, caso não acontecesse que retornasse ao médico ou tivesse alguma piora. 

O que me preocupou nesses dias foi o fato de ela comer bem pouquinho, já que está em tratamento para ganho de peso e fico arrasada! Ao mesmo tempo não me culpo e vou oferecendo e respeitando o limite dela, o que ela quer e consegue comer. Ainda bem que ela toma suplemento, mas já percebi ela mais " Murchinha" , mas ela vai recuperar!

No dia 31/03 começou a medicação, e percebi ela um pouco melhor. Quase sem tosse, sem febre e sem vomitar, e conseguindo sorrir, ser carinhosa, (pois nem isso ela estava conseguindo) então vi que é um ótimo sinal. Ainda estava dormindo muito e comendo pouco, mas entendo que é a dor no corpo. Quando fica doente, mudam algumas coisas como por exemplo a quantidade de xixi. Confesso que fiquei preocupada, mas ela tem ficado sem fazer e quando faz é de uma vez só, de manhã e à noite.Eu sempre observo essas alterações, porque mexe com o organismo.

No dia 1/04 , segundo dia do antibiótico ela ficou mais acordada, falando, brincando, sem febre e sem tossir e para a minha felicidade comeu um pouquinho comida de sal na hora do almoço. Acredito que gradativamente os sintomas vão sumir e ela vai voltando a ser o que ela sempre é. Infelizmente os vírus andam por aí, cada vez mais fortes, e ela só pega algo se nós aqui pegarmos, ou ela pegar de alguém fora. Caso contrário, a imunidade dela é ótima.

Fiquei sobrecarregada e cansada, pois além de cuidar dela tinha que me arrastar entre os afazeres e cuidar de mim mesma devido ao meu cansaço, sono, indisposição. Mas a vida é assim, quem tiver melhor que cuide do outro. Inúmeros lençóis de cama sujo dela pra lavar, medir temperatura, aferir pressão, dar medicamentos, comida, banho, enfim, tudo aquilo que uma mãe faz além de ser mãe. Mas o que importa de verdade é que ela fique bem. Na semana que vem no dia 08 ela tem uma Densitometria Óssea a pedido da Endocrinologista para a consulta do mês 6.


Abaixo, fotos do dia 31/03, mesmo doentinha ela esboçou sorrisos com as minhas palhaçadas:



Até a próxima postagem! Darei notícias!

Adriana Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário